Dá Tempo Ao Tempo - Dina Do Carmo - Fado Da Noite Perdida (Vinyl)

AlternativeMokus 9
9 comments Add yours
  1. O mundo é de todos nós e precisa do nosso otimismo para que o ímpeto de mudar se transforme em uma mudança real, e acreditamos que isso só é possível começando por uma transformação interna. Mudando nosso jeito de pensar, mudamos nosso jeito de agir e agindo mudamos o mundo. Ainda dá tempo.
  2. Carlos do Carmo: BALADA PARA UMA VELHINHA: Carlos do Carmo: OS PUTOS: 9: Carlos do Carmo: DÁ TEMPO AO TEMPO: Carlos do Carmo: POR MORRER UMA ANDORINHA: 8: Carlos do Carmo: TREM DESMANTELADO: Carlos do Carmo: FADO DOS CHEIRINHOS: Carlos do Carmo: BAIRRO ALTO: Carlos do Carmo: CANOAS DO TEJO: Carlos do Carmo: FADO.
  3. Dá tempo ao tempo Ri enquanto tens vontade Talvez um dia a saudade Não te deixe rir assim Dá tempo ao tempo Que o tempo corre e não cansa E eu não perdi a esperança De ter ver chorar por mim Pouco me importa O que dizes e o que pensas Nem faço caso às ofensas Que vives fazendo à toa Tenho a certeza Que esse teu riso atrevido Há-de um.
  4. Ainda dá tempo Abra a porta do seu coração E deixa Jesus entrar O meu Deus conhece o teu coração Aquele coração que tá na vida No crime nas drogas na prostituição Mas ainda dá tempo dá tempo de lutar Quanto você pagaria, pra ver, o sorriso Da sua coroa que há muito tempo Só sabe chorar E quando você vai pra cena do louco.
  5. Vamos dar tempo ao tempo e esperar para ver o que acontece e como nos sentimos. Acredito no destino, e o que está reservado para nós certamente tem um por quê de ser. Vamos esperar até termos tranquilidade suficiente para calar os rancores e ouvir as vozes dos nossos corações.
  6. PointCulture > Médiathèque > Musiques du monde > MU - FADOS DO FADO DINA DO CARMO de Dina do CARMO Nous sommes très heureux de vous accueillir à nouveau au PointCulture pour la reprise du service de prêt à partir du 19 mai
  7. fado de lisboa-carlos do carmo. menor maior. cd fado de lisboa-mafalda arnault. madrugada de alfama. 6. cd fado de lisboa-mafalda arnault. mariquinhas vai À fonte. 3. cd fado de.
  8. Batidas na porta da frente É o tempo Eu bebo um pouquinho Pra ter argumento. Mas fico sem jeito Calado, ele ri Ele zomba Do quanto eu chorei Porque sabe passar E eu não sei. Num dia azul de verão Sinto o vento Há folhas no meu coração É o tempo. Recordo um amor que perdi Ele ri Diz que somos iguais Se eu notei Pois não sabe ficar E eu também não sei. E gira em volta de mim Sussurra.
  9. Repertório do autor Quando a noite me vem da voz do vento No silêncio dos teus olhos de mulher Surge a dor que me mata e não me fere Num grito sempre igual, de sofrimento Eu chamo agora em vão o esquecimento No sonho que meu ser em vão afaga E a chama não acende nem apaga Arde sempre, quer á chuva quer ao vento Se vivo maldizendo a minha.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *